O que encontrar do outro lado da esquina... uma luz, um amor, um sonho, um silêncio, um verbo ou uma conjunção que conecte dois mundos?



quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Folha de Diário



Domingo, maio
ouvimos a Fantasia
sonata para piano
com a pluma da inspiração
o fantasma alado de Mozart
cala vozes do silêncio
paredes guardam segredos
milenares de carícias
e assombros

Fantasia em Ré menor
toca as colunas dos sentidos
estremecem metros cúbicos de alma
geometria incerta por segundo
Gavrilov lava as mãos
no lago turvo do céu
chacoalhando nuvens
gotículas de chuva, cristais se precipitam
batem na porta, insistentes, inundam a terra
nos convidam para o passeio
porém recusamos
o baile nas alamedas
o salto à distância sobre poças
e esquinas

Ficamos
em nosso quarto houve, haverá, há
um amálgama de notas e estações
harmonia de luz num coro de cristais
folhas úmidas desprendidas do ramo
desenha um chapéu que cobre o nascer do sol
escondido entre nossos cabelos
brilho de bosque negro
a primeira primavera brota
na fértil tarde de seus ouvidos

Deitada em meus braços
entre o sono e o despertar
a mensagem que recebes
é singela, é abrigo
é de pássaros que voam alto
levando nos bicos relógios cuco
queres dizer-me que o tempo voa?
responde-me teu sorriso
a mensagem de sonata que recebo
te digo que esse instante é eterno?
sorrio, porque vivo de amor por ti.

Domingo, maio
visitemos a feira medieval
donzelas e cavalheiros
trovadores tocam harpa
acalmando seus dragões de fogo interno
e que gire a máquina do tempo!



2 comentários:

José Antonio del Pozo disse...

trovadores con el fogo interno de su poesía, claro que sí.
Muy bueno
saludos blogueros

Silencio disse...

Grata por su visita, Sr. José, todo el poeta lleva consigo ese fogo, verdad? seguro que vos lo sabes...
un abzo...