O que encontrar do outro lado da esquina... uma luz, um amor, um sonho, um silêncio, um verbo ou uma conjunção que conecte dois mundos?



sábado, 10 de setembro de 2011

Quero-Quero

Digo-te que te quero, mas tu não sabes quanto
Sempre te quero tanto, que quase desespero
Tento presentear-te meus versos com esmero
Encher-te de alegria, exterminar o pranto


Na minha teia enredado, quando tu lês meu canto
Moço, teus olhos brilham, fitam-me com ardor feroz
Refletindo a dúvida, quando ouves minha voz
Não duvides, meu amor, que há paixão sem quebranto


Com meu pobre soneto, eu tento engabelar-te
A intenção verdadeira, sei camuflar com arte
Logo matar a fome, comer por vez primeira
 
Quero regar tuas costas, Baco nos doa o vinho
Vira-te já de bruços, geme a noite inteira
Teu corpo é meu banquete, tuas curvas meu caminho.





Nenhum comentário: