O que encontrar do outro lado da esquina... uma luz, um amor, um sonho, um silêncio, um verbo ou uma conjunção que conecte dois mundos?



domingo, 6 de novembro de 2011

Amor Malfadado



E esfregou sua cabeça na lâmpada mágica e pediu seu último desejo. Queria estar sempre ao seu lado, espionar a intimidade dela, noite e dia, resumindo, ser uma mosca varejeira.
E olhava, olhava e olhava. A puta mosca pousada no azulejo do box do banheiro recebia as gotas de água do chuveiro, nas suas costas. Quando se cansava de olhar sem tocar, voava ao redor do grande corpo pelado da sua musa (Dona Inês), tentando sem sucesso pousar num dos seus mamilos descomunais que tem o aroma do leite com mel quentinho.
Tenta roçar seu monte de Vênus e as patas ficam coladas na superfície peluda, uma armadilha !
Recebe uma chicotada com a toalha molhada. De súbito, um golpe baixo. Perde uma asa e cai no chão. Aos seus pés tenta zumbir e galantear a musa indiferente (Dona Inês). Entao, -com a volubilidade do ser humano-, começa a pensar que talvez seja uma boa idéia voltar a ser homem digno.
Tarde demais. A musa (Dona Inês) era grande, gorda e calçava número quarenta. Não era bela, mas tinha uma pisada forte e decidida.
Esmagamento fatal.




Nenhum comentário: