O que encontrar do outro lado da esquina... uma luz, um amor, um sonho, um silêncio, um verbo ou uma conjunção que conecte dois mundos?



sábado, 10 de setembro de 2011

Quero-Quero

Digo-te que te quero, mas tu não sabes quanto
Sempre te quero tanto, que quase desespero
Tento presentear-te meus versos com esmero
Encher-te de alegria, exterminar o pranto


Na minha teia enredado, quando tu lês meu canto
Moço, teus olhos brilham, fitam-me com ardor feroz
Refletindo a dúvida, quando ouves minha voz
Não duvides, meu amor, que há paixão sem quebranto


Com meu pobre soneto, eu tento engabelar-te
A intenção verdadeira, sei camuflar com arte
Logo matar a fome, comer por vez primeira
 
Quero regar tuas costas, Baco nos doa o vinho
Vira-te já de bruços, geme a noite inteira
Teu corpo é meu banquete, tuas curvas meu caminho.





Quiero-Quiero



Te digo que te quiero, pero no sabes cuanto
Siempre te quiero tanto, que casi desespero
Intento regalarte mis versos con esmero
Colmarte de alegría, exterminar el llanto

En mi tela enredado, cuando lees mi canto
Mozo, tus ojos brillan, miran con ardor fiero
Reflejando la duda si te digo "Te Quiero"
No dudes, amor mío, hay pasión sin quebranto

Con mi pobre soneto, intento camelarte
La intención verdadera, sé camuflar con arte:
Pronto matar el hambre, comer por vez primera

Quiero regar tu espalda, Baco nos dona el vino
Túmbate boca abajo, gime la noche entera
Tu cuerpo es mi banquete, tus curvas mi camino

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Presença



A casa não é a casa sem ti,
o rádio de pilhas não é o rádio sem ti,
os óculos não são os óculos sem ti,
a cadeira não é a cadeira sem ti,
os santos não são os santos sem ti,
sem ti não há mais nada.
Alguns objetos perdem seu significado,
estão vazios.
E tenho medo de perder também
tua imagem.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Presencia

La casa no es la casa sin ti, la radio a pilas no es la radio sin ti, las gafas no son las gafas sin ti, la silla no es la silla sin ti, los santos no son los santos sin ti, sin ti no hay más nada. Algunos objetos pierden su significado, están vacíos. Y tengo miedo de perder también tu imagen.