O que encontrar do outro lado da esquina... uma luz, um amor, um sonho, um silêncio, um verbo ou uma conjunção que conecte dois mundos?



sábado, 26 de novembro de 2011

Apaixonados


Espectro e Crepúsculo
seu aroma se derrama
toca a pele do vento,
que se abre em vielas e janelas
revira os lençóis e
os corações que se ocultam,
não sabe se Colombina se deitou com Arlequim.
Amor que está sem ser
sem poder estar,
sua respiração quente entre as coxas
da mulher amada
estremecem as mãos sobre a mesa
na busca constante de um gesto
treme a vela na sua pupila
não sabe se o sol se deita na água.
Estremecem a nudez e a entrega
num canal de lábios famintos
navega sua gôndola vazia.
Espectro e Crepúsculo,
se envolve na trama da mulher amada,
entre névoa e sonho
uma figura luminosa desponta:
a lua navega à deriva.
O pranto de Pierrot sempre inunda a praça,
amor que  começa quando o dia termina.


terça-feira, 22 de novembro de 2011

Enamorados

Espectro y Crepúsculo
su olor se derrama
roza la piel del viento,
que se abre en callejas y ventanas,
revuelve las sábanas y
los corazones que se ocultan,
no sabe si Colombina se acuesta con Arlequín.
Amor que está sin ser,
sin poder estar,
su aliento cálido entre los muslos
de la mujer amada,
tiemblan las manos sobre la mesa
en busca de un ademán,
tiembla la vela en su pupila,
no sabe si el sol se acuesta en el agua.
Tieblan la desnudez y la entrega
en un canal de labios hambrientos
navega su góndola vacía.
Espectro y Crepúsculo,
se envuelve en la trama de la mujer amada,
entre niebla y sueño
una figura luminosa se asoma:
la luna navega a la deriva.
El llanto de Pierrot siempre inunda la plaza,
amor que empieza cuando el día termina.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Um Quadro do Menino Deus


Das mãos do menino Deus
Brotam aves que desenham
Veredas de luz e de sombra
Aos pés do firmamento

Sentado na bicicleta
Um menino olha para cima,
ele sabe que o sentido
está na busca incessante
e compreende que Ele é
todo ponto de partida
e todo ponto de chegada.

As aves que brotam de Deus,
Mensageiras do canto à vida,
Pousam nos ombros do menino,
Desenhado num caminho
Aos pés do firmamento.

E giram as rodas da bicicleta,
giram as rodas da esperança,
o menino que olha para cima
faz os pedais do mundo girar, 
com sua busca incessante.